2 de ago de 2018

Mudança de Endereço

A partir de hoje, os textos relacionados a poesias e reflexões estarão num outro blog, próprio para isso.
Segue o link do blog e dos textos já publicados.


23 de jun de 2018

O advento das redes sociais


Analisando os últimos fatos da humanidade, percebemos que limites e fronteiras do Mundo caíram há tempos.
Antigamente para você ter contato com outras culturas, países, pessoas, seria necessário você ler livros de História/Geografia e/ou gastar uma quantia monetária considerável para comprar uma passagem para o local de destino. E com isso teríamos outros problemas como barreiras linguísticas, cultura, modos de vidas e afins.
Mas com o avanço da tecnologia, que colocou um computador mais perto de uma cartucheira de cigarro, chamado de celular, nas nossas mãos, vemos que não existe mais limites para se comunicar com outros países e pessoas das mais diversas culturas.
Hoje em dia, existem tantos app’s de tradução, que podemos usar (de forma ridícula) para nos comunicar com pessoas em idiomas que nem sabíamos que existia. Vide o vídeo do repórter que usou o Google Translate, para fazer uma pergunta durante uma coletiva de imprensa na Copa.
Mas o que isso tudo tem a ver com a frase que encabeça a nossa conversa?
Simples; com toda essa tecnologia, nós, meros mortais, perdemos a coragem para usar o ‘dom da palavra’ para falar as coisas mais simples.
Como, por exemplo, falar o que nos incomoda para a pessoa-alvo.
E com isso acabamos usando as redes sociais, app’s de comunicação com seus gagdets e sub-apps, para mandar as famosas ‘indiretas’.
Frases/textos soltos no ar para atingir uma pessoa ou um grupo de pessoas. E aí cabe a pergunta: por que não chegar e de forma direta falar o que pensa?
Não existe a necessidade de tudo se colocar na rede social. Não tem necessidade de colocar nossas fragilidades, insatisfações e magoas para milhões de pessoas verem, apenas com o intuito de um like ou visualização. E nesse ponto, posso e vou soar de forma hipócrita, porque eu mesmo faço isso. E compreendo que a facilidade encanta e é tentadora.
Mas fico me perguntando: até aonde isso vai? Até quando vamos nos esconder atrás de uma frase, musica, texto, sátira, com o único intuído de não revelar ou alfinetar a pessoa que nos desagrada, para que milhões de pessoas possa nos ver?
Porque uma das maiores verdades que poderiam aparecer na net/vida/rede social é que “A internet nunca esquece”. Tudo o que você colocou um dia na web, ainda está lá, em algum lugar e provavelmente isso poderá e será usado contra você, numa situação futura.
Então o meu pedido aqui é: sejamos mais honestos com tudo em nossas vidas. Magoas, tristezas e frustrações não irão desaparecer só porque você colocou isso de forma ambígua na internet.
Sejamos honestos com nossos sentimentos, sejam eles benéficos ou não. Mas sejamos francos e paremos de jogar poeira ao vento; até porque em algum momento isso vai atingir os olhos de alguém, e pode ser que nem seja quem você mirou na hora.

30 de mai de 2018

De volta? Não exatamente. Apenas de passagem

Oi. Não, você não está alucinando e não rolou uma invasão hacker no blogger. Até, porque convenhamos, ninguém realmente se importa ou presta atenção em blogs hoje em dia; e aí que está a beleza de tudo isso: porque apenas as pessoas que você quiser e informar, verão o que você escreveu. Virou algo mais intimista.
A ultima coisa que eu escrevi nesse blog data de 12.09.2013. Ou seja, se passaram 4 anos, 9 meses, 2 semanas e 4 dias. E no que essa informação é tão importante? Não é. Basicamente é a mérito de calculo mesmo. Mas se considerarmos isso basicamente importante, podemos ver que muita coisa aconteceu nesse tempo. Mas quero que se foda o que aconteceu na história mundial; isso está tudo descrito em livros de História, ou estarão no futuro.
Mas o que aconteceu na minha vida nesse tempo? Bastante coisa na verdade. Pessoas que estavam há anos, decidiram que não deveriam mais permanecer. Pessoas que não estava, entraram e depois de um tempo, saíram também.
“Entendi, então voltou apenas para reclamar e se lamentar?”
A resposta é um categórico não. Mas as vezes precisamos de um lugar para escrever/falar as coisas sem se preocupar com porra-nenhuma. Sem pudor; sem medo; sem restrições.
Mas apesar de tudo isso, as coisas andam bem.
Deixei de ser um cara sedentário e virei um corredor/atleta de final de semana. Descobri coisas boas e ruins sobre mim. Me apaixonei, me decepcionei, me apaixonei novamente e depois disso ficou meio bagunçado.
Mas aprendi com tudo isso que a melhor coisa de todas é: se tem medo de dizer o que sente, você não merece sentir. Se sente algo, seja raiva, ódio, ranço, amor, esperança; tenha culhões e diga. Mas se decidir guardar isso para você, tem que saber que a cobrança será alta.
Seja homem, e não é pelo fato de ter pau, é pelo fato de ter coragem de fazer o que tem que fazer referente ao que quer.
A vida é curta demais para você ficar de palhaçada e de segredinho com seus sentimentos. As pessoas aguardam a verdade para se jogarem ou pularem fora. Tenha coragem.

12 de ago de 2013

Novos Ares e Fornalha


Ainda não faço ideia se alguém visita o Aleatoriamente, Rom. Mas se alguém ainda nos visita, saiba que este que vos fala agora está participando do projeto FornalhaCast.

Visite-nos e nos ouça.

11 de jun de 2013

Lei 'Calça Arriada' aprovada pelo Senado


Todos os veículos de comunicação dessa terça-feira só falam de uma coisa: protesto no Rio de Janeiro contra o aumento da tarifa de ônibus.

Vemos de tudo um pouco; falam sobre os atos de vandalismos cometidos pelos manifestantes, sobre a depredação do patrimônio público; porem ninguém fala do aumento abusivo das tarifas do transporte publico.

Lembro-me da época em que a passagem custava menos de R$0,50. Alguém se lembra disso? O pior ainda é o fato que o Governo não providencia um transporte de qualidade, através de normas e leis para as empresas privadas, e ainda aumenta as tarifas. E o que o povo faz? Se revolta, não é? Porque no Brasil só existem leis para controlar o povo.

E o que fazem quando as pessoas se revoltam? Jogam a Polícia em cima dos revoltados. O clima já está mega tenso; os próprios manifestantes estão preocupados, assustados e com medo. E quando veem o Batalhão de Choque marchando tal como um pelotão anárquico, basta disparar o estopim. Pode nem ser uma bala de borracha, spray de pimenta ou bomba de efeito moral; só o que precisa é uma latinha ser amassada e está armada a confusão.

Não sou a favor de manifestações agressivas, porem noto que muita das vezes o tumulto acontece devido a ação violenta das forças armadas.

Mas e as outras coisas que acontecem no país? A excelentíssima presidente (não existe essa merda de presidenta!!) emprestando dinheiro público para outros países otimizarem seus hospitais, enquanto que a Saúde Brasileira vai de mal a pior. Ela, por acaso, tirou o dinheiro da obesa conta-corrente dela? Óbvio que não!

Manifestantes adotando à Lei 'Calça Arriada'

Está mais do que na hora do povo brasileiro se mobilizar. Vamos fazer uma conta um pouco simples? De todas as pessoas que você conhece quantos são políticos-eleitos? Vamos colocar que em torno de 0,5%? Então se existe 193.946.886 de habitantes no Brasil quantificando esse número em 100%, teremos um número exorbitante de 969.734,43 políticos, o que de longe seria uma loucura.

Dessa forma pense comigo: por qual motivo você tem que ‘abaixar as calças’ para menos de 0,5% da população e deixar que eles controlem a sua vida e roubem o seu dinheiro?