27 de jan de 2010

Dr. Rom fala sobre Virgindade


Sigmund Freud

No embalo da pergunta anterior. Tenho 27 anos e sou virgem. Já tive relacionamentos anteriores com garotas, mas sempre fizeram jogo duro. Já deixo de antemão a informação de que não sou gay e nem tenho vocação pra isso. Sou um looser total?

Olha, de forma clara e honesta, não existe idade certa para se perder a virgindade.
Eu poderia enumerar centenas de casos em que a pessoa perdeu a virgindade depois de uma idade consideravel.

A verdade é que a sociedade em que vivemos hoje em dia montou uma cartilha sobre "Homem e a Virgindade", tornando a vida de certos homens um verdadeiro inferno, porque muitos pais ainda têm o pensamento que se o filho não perder a virgindade logo nas primeiras decadas de vida, existe algo de errado e o referido filho pode ser homossexual. O que não é nem perto da verdade.

A questão da virgindade não necessariamente envolve uma epoca ou idade para faze-lo, porque se fosse assim muito homens acabariam por perder a virgindade em prostibulos apenas para se livrarem do estigma que é ser taxado de virgem.

Quanto ao seu caso, não vejo como uma forma de ser "looser". O meio social a qual vivemos todos os dias de nossas vidas vai determinar a possibilidade de um relacionamento sexual favoravel, até porque se vivermos num colegio interno só para rapazes a possibilidade de ter uma relação sexual reduz consideravelmente.

Quanto as ex's que faziam jogo duro é uma questão de avançar o sinal no momento certo, entende?
Existem coisa que os homens podem fazer para melhorar a aceitação da parceira com relação ao sexo. Um homem disposto a ser carinhoso, compreensivel, asseado, cortês; essas coisas demonstram que o homem é capaz de se preocupar com a companheira mais do que com o penis que carrega no meio das pernas e isso, às vezes, faz toda a diferença.

Saiba conquista a mulher e se fazer conquistar por ela. Mas entenda, não estou dizendo que isso é uma cartilha para levar a mulher para a cama. Não fique agindo como se ela fosse apenas um objeto sexual, faça-a se sentir querida e segura ao seu lado e ela vai (em um dado momento) te recompensar pelo que está fazendo.

Abraços e sempre as ordens.

26 de jan de 2010

Dr. Rom responde: Estou afim de um homem casado! O que aconselha?



Eles se encontram numa esquina e "bum"; amor a primeira vista. É engraçado como as coisas hoje em dia são menos "bonitinhas" do que os nossos pais/avós dizem que era no passado; um passado em que existia todo um ritual para namorar/noivar/casar.

Vivemos um período da sociedade pós-modernista em que as pessoas deixam de lado o sentimento de estar fazendo algo errado, para vivenciar um desejo ardente, mesmo que seja momento.
Nossos pais/avós falam muito de repressão (seja por parte do Governo ou pelos antecessores deles) e com isso formulamos que o momento é de nos livrarmos das amarras e tabus da sociedade.

Mas com essa situação pungente acabamos por perder algumas pitadas de noção sobre o certo e errado!
Não estou dizendo que apaixonar-se é errado; longe de mim, que sou um romantico incuravel, dizer uma coisa dessas. Mas algumas coisas acontecem na nossa vida apenas como forma de aprendizado e não devem ser arriscadas com a possibilidade de sair machucado de um relacionamento que desde o inicio está fadado ao fracasso.

Não existe nada mais gostoso de sentir-se apaixonado, mas e quando esse sentimento é tomado por insegurança, ausencia, falta?
Um relacionamento com alguem comprometido sempre é um problema e na maioria das vezes o problema recai no colo da pessoa que "interferiu" a harmonia do casal.

Me foi pedido um conselho de como agir na situação de estar apaixonado(a) por uma pessoa casada. Minha resposta e conselho: esqueça isso, pois o periodo de felicidade pode ser facilmente e rapidamente substituida por dor e remorso.

Sabemos de muitos casos em que as pessoas se envolvem com homens comprometidos e quase sempre com a promessa do referido homem abandonar a esposa (sob pretextos de infelicidade dentre outras mais) o que na pratica não acontece e a pessoa que fazia o papel de "namoradinha" fica frustrada com a situação até tomar uma providencia, podendo essa ser abandonar o amante ou até mesmo uma solução um pouco hollywoodiana.

Mas acredito que o maior conselho que eu poderia dar a essa situação é: coloque-se no lugar da mulher do referido objeto do seu desejo e pense se gostaria de que seu marido estivesse se envolvendo com outra pessoa, por mais apaixonada que essa seja?
Após refletir sobre a questão, decida-se sobre como proceder!

Beijos, Dr. Rom

22 de jan de 2010

Homem e o seu melhor amigo: O Super Ego.



Pessoas nerds provavelmente vão pensar que estou falando do Ego como “centro da consciência inferior, diferente do Eu, que é o centro superior da consciência”, mas a verdade é que não sou uma pessoa tão puritana e boazinha a ponto de me referir a isso. E muito menos estou falando de algum animalzinho de estimação sob a alcunha de Ego.

O que estou falando é muito mais simplório e direto. Estou falando do ego masculino, aquele cristal frágil que nós homens guardamos na parte mais profunda da nossa psique.

Um casal está deitado à cama e em um dado momento a mulher,brincando, fala algo sobre o membro do seu companheiro. Pronto, trincou o cristal.
Independentes do tamanho do membro do homem sempre serão complexados com o tamanho, mesmo debaixo dos gemidos e orgasmos da companheira.

Uma das verdades universais é a de que somos criados para os desígnios de nossa masculinidade perene e a comparação com outros (seja ex-namorados ou transas aleatórias) pode abalar a coluna mais frágil do nosso ser.

Qual o homem que nunca ficou em duvida se conseguia realmente agradar a companheira na cama?

Não tem duvida sobre o “Sentido da Vida”, “Para onde vamos?” ou se “Deus existe?”. A maior duvida do homem é se ele sabe usar o instrumento de forma adequada para a sua parceira.

Mas a verdade é que de certa forma os homens supervalorizam essa situação e acabam esquecendo que o sexo não começa na hora da penetração e sim desde a troca de olhares e o coração palpitante. Basta não deixar a paixão morrer no momento em que surge a afeição.


E esses homens se sentem os Super-homens, pensando que são os ases do sexo, enquanto que na maioria das vezes as mulheres que vão para a sua cama saem insatisfeitas e ele, iludido!

Porque de nada vale um pênis enorme se o dono dele está preocupado apenas em gozar e dormir.

Noite de Autografo com Clara Gomes e Fernanda Lizardo



Para aqueles que não sabiam (se é que tinha alguém que não sabia, ainda mais depois da maciça exposição feita no meu Twitter) ontem dia 22 de janeiro, na Saraiva Mega Store do Shopping Rio Sul ocorreu o lançamento dos livros ganhadores do BlogBooks.

Entre os felizes ganhadores tiveram duas pessoas que considero amigas particulares: Clara Gomes, do site Bichinhos de Jardim, ganhadora da categoria Quadrinhos; e a Fernanda Lizardo, do Sexto Sexo, ganhadora da categoria Sexo.
Ainda estiveram alguns dos integrantes do Papo de Homem com o lançamento do seu livro; do Dinheirama; do Kibeloco; do Guanabara.info; dentre outros contemplados.

Sinceramente não conhecia ninguém alem da Clara e Fernanda (apesar de querer ter conhecido o Dr. Drinks, do Papo de Homem), mas a noite de autógrafos rendeu ótimas risadas, como no momento em que este que vos fala, Dr. Rom, chegou para a Fernanda Lizardo pedindo um autografo e no momento em que disse para quem era, a mesma tomou um susto por não esperar me conhecer daquela forma.

Dr. Rom e Fernanda Lizardo

Um único comentário sobre a noite de autógrafos: que venham outros livros, ate mesmo porque o livro da Fernanda ficou ótimo, com um texto gostoso, sensual e divertido de ler.

Dr. Rom e Clara Gomes

O que falar sobre o livro da Clara Gomes? Perfeito. A escolha das tiras e a ordem colocada fazem com que o leitor se delicie ao ler.

Meus parabéns as duas. E como não poderia faltar, tirei foto com ambas.

12 de jan de 2010

Masturbação: pratica que leva a perfeição ou a frustração?


“Onanismo ou masturbação é um exercício de auto-conhecimento”.
Isso é que os médicos e psicólogos dizem sobre a prática mais conceituada entre 8 dentre 10 jovens de todas as idades.

Mas e quando essa pratica de auto-conhecimento se torna um vicio?

Até quando uma forma de conhecer o próprio corpo e a forma como alcançar prazer pode ser um fator determinante em como você vai ver suas relações sexuais depois de um tempo?

A verdade é que algumas pessoas adotam a pratica como uma forma de sanar alguma(s) fantasia(s) sexual(is) e com isso acabam se afastando de relacionamentos reais para vivenciar uma pratica sexual perfeita, o que pode vir a frustrar o individuo no momento do ato em si.

Ainda mais se o individuo idealiza transas fenomenais em posições dignas do Kama Sutra com mulheres do porte de varias atrizes de Hollywood.


E sabem o que acontece? Essa mesma pessoa quando se envolve com uma pessoa de verdade acaba descobrindo que nada acontece como sua mente idealizou. Que o orgasmo ao estilo “squirting” dos filmes pornôs não é a coisa mais comum do mundo; que o malabarismo sexual não é uma pratica fácil; e que para agradar uma mulher (de verdade) não precisa falar palavras vulgares e nem ejacular sobre ela, basta respeito.

E essa pessoa, frustrada emocionalmente e sexualmente, se tornara um adulto frustrado em muitas áreas da sua vida pessoal. Não estou querendo parecer freudiano, mas essa verdade é quase que irrefutável.

Convenhamos que em uma relação a dois por mais perfeito que seja, nada é tão perfeito assim. Se o casal tiver uma mente sã e uma intimidade boa, com certeza vão saber levar o relacionamento de forma que seja prazeroso para ambos.

É uma forma de se conhecer? Sim, mas não deixem que isso possa se tornar mais importante e prazeroso do que uma verdadeira relação a dois.

Abraços.

8 de jan de 2010

Dr. Rom responde: Por que é tão complicado se relacionar com o sexo oposto?


Hum.. não acho que complicado seja uma forma correta de encarar as coisas. Ainda mais que na vida tudo pode ser remediado, se tivermos uma forma bon vivant de levar as coisas.


Mas a verdade é que homens e mulheres são completamente de diferentes. Sendo assim só existe duas formas de coexistirem: aceitando um ao outro ou brigando e se separando.

Mas a verdade é que o homem (as pessoas em geral e não o sexo masculino) não foi feito para viver sozinho. Algumas pessoas podem até acreditar que isso pode acontecer, mas pessoas assim se tendencionam a ficar sozinhos e com isso adquirem varias doenças que a vivencia em sociedade poderiam evitar.

Complicado se relacionar com o sexo oposto? Discordo. Acho que podemos viver de forma harmoniosa desde que compreendamos que o sexo oposto não está ali para competir com a gente e sim nos ajudar a competir com o mundo.
Pensando assim, podemos nos compreender melhor tal como à pessoa que está ao nosso lado.

Pensem nisso.

Me pergunte e eu respondo se puder.

7 de jan de 2010

Dr. Rom no Sexo Verbal


Sexo Verbal um dos varios sites que o Enfil possui voltou após um tempo parado. E voltou com grande estilo com varias coisas novas e dentre elas, um post do Dr. Rom.


Sei que isso pode ser dispensavel para algumas pessoas, mas é um marco para mim.

E como as pessoas podem ver nas imagens anexas a este post, Dr. Rom andou dando suas "peruadas" no Sexo Verbal.


Clique no link para conferir o texto sobre o Ponto G enquanto eu me recupero das festas de fim de ano ou seja, algumas noites sem dormir, recuperar a integridade do meu figado e da minha sanidade.

Mas a partir da semana que vem o "Aleatoriamente, Rom" volta com força total.

Aguardem.