26 de fev de 2009

Internet: o mocinho e o vilão da historia.


Qual o limite que existe entre as pessoas no mundo que vivemos hoje?
Algumas pessoas podem questionar a minha pessoa dizendo que estou vivendo um mundo de fantasia. Mas a verdade é que hoje em dia, não existe mais fronteiras ou barreiras ou limites entre as pessoas.

Não depois do surgimento e disseminação da Internet. Hoje podemos conversar com pessoas que estão do outro lado do mundo em tempo real.
O termo Globalização nunca esteve tão perto da realidade (se é que não é real). A unica coisa que impede duas pessoas de manter vinculos, mesmo a distancia, é a conexão/taxa de transferencia.

Sem falar que não é de hoje que existe varios programas que possibilita a comunicação entre as pessoas.

Podemos mandar por e-mail (o Gmail tem uma capacidade absurda para armazenamento de e-mail), mas se voce quer algo mais dinâmico, temos o MSN, ICQ, Skype, dentre outros.
Ou seja, a distancia não é mais um motivo para que as pessoas não possam se comunicar.

Mas devido a isso, começamos a ter alguns problemas. Como é o caso das pessoas que se relacionam atraves da Internet, visando prejudicar as outras.

Já soubemos de casos em que pessoas foram raptadas após decidirem se encontrar com pretensas pessoas conhecidas na Internet. Existem os casos dos pedófilos e outros crimes que acontecem por conta da facilidade da Internet. Da mesma forma que já foram encontradas pessoas desaparecidas por conta da Net e da acessibilidade.

Mas não sejamos hipocritas a ponto de dizer que nunca criamos nenhum perfil fake ou que nunca olhamos alguma foto mais picante na Net.

Atire a primeira pedra aquele que nunca acessou um site adulto quando tinha seus 15 anos.

A verdade é que devemos tomar cuidado com as esparrelas da Net. As mesmas esparrelas que acontecem na vida cotidiana acontece na vida virtual.

23 de fev de 2009

Carnaval de grego.


Seguir blocos, sair fantasiado de piranha, vestir ‘abadas’, encher a cara (parte boa). Isso resume o carnaval de muitas pessoas.
Mas não resume o que é o meu carnaval. Ainda mais o carnaval em casa.

Deprimente.

O meu carnaval inteiro se resumiu a ir para o Clube a qual sou sócio e ficar de molho (pelo menos no domingo), beber um pouco (modéstia) e passar o resto do dia na frente do ventilador, vendo TV.

E foi num momento desses que eu me peguei (ui) vendo o 'Grande Irmão Brasil'. Sei que muitas pessoas vão dizer que eu realmente cheguei ao fundo do poço nesse momento. Eu acredito nisso tambem, mas deixe eu contar a minha versão da situação.
Estava eu sem porra nenhuma nada para fazer. Não estava com saco para jogar um PS2; está tarde para caralho caramba e ligar para qualquer pessoa àquela hora era pedir para escutar meia duzia.

Então comecei a aplicar a minha tese sobre neo-voyeurismo. E não posso negar que me surpreendi com o prazer que me deu em ver a Maíra e Flavio conversando por horas (isso não é força de expressão) sobre os casos afetivos da 'sister'.

É inevitavel que seja feito alguns tipos de comentarios sobre a situação que ela descreveu. Não sou adepto a isso, mas existem momentos em que nem eu mesmo suporto os meus pensamentos insanos.
Não estou julgando a menina, até porque não tenho nada haver com a situação dela, bem como ela não faz a minima ideia de que existe um blog sendo escrito por um insano como eu. 

Mas uma coisa eu preciso comentar.
Eu tive relacionamentos conturbados. Muito. Daqueles de que quando acabava, eu era chamado de filho da puta para baixo. Eu escutava nomes e impropérios que eu nunca imaginei que existiam. Mas coitada dessa menina. A vida afetiva dela é digna da Faixa de Gaza. Sem sacanagem.
O 'brother' mencionado acima fez um comentário que eu me escangalhei de rir sozinho no meu quarto: 'Caraca, voce passou por tudo, artista circense, ladrão, bebado, sequestrador, insano. Só faltava pegar alguem normal'.

Agora entendo o porque de algumas pessoas que eu conheço estarem acompanhando essa edição.

..

Agora um ultimo comentario sobre o carnaval.
Isso foi como uma epifania.

Podemos comparar o carnaval como um trem.
No trem (pelo menos no Rio) temos varios grupos etnicos, mas ou mesmos como os bairros americanos demonstrados naqueles filmes hollywoodianos.

Temos o vagão evangélico. O local onde você vai de Japeri até a Central ouvindo pregações por pessoas que consideram que perdigostos são iguais a unção dada pelos padres. 
Temos o vagão do pagode. O pessoal começa a batucar desde cedo e já a partir da segunda-feira. Eu ainda acho que o povo nem chega a dormir. Já começa a semana pegando a cerveja, o pandeiro, o cavaquinho e vão-simbora.
Temos o vagão feminino. Inicialmente era para ser um vagão, como o proprio nome diz, apenas para mulheres, para evitar que elas sejam bolinadas, apalpadas, encoxadas, e-acho-que-voces-entenderam. Mas atualmente tem sido usado tambem por homens que não estão certo do seu papel na grande cadeia sexual do mundo. Brincadeiras a parte.
Tem o vagão da pegação; para aqueles mais assanhadinhos que desde de segunda-feira, às 06h da manhã, já encontram força e disposição para xavecar.

Ou seja, eu considero que os vagões de trem se equivalem aos blocos de carnaval. Cada um se identifica com o seu e vai seguindo.

E isso tudo me veio nesses dias de carnaval, para voces verem como a coisa ficou feia para o meu lado.

Espero que ninguem fique chateado comigo. Mas se ficar tambem, me processa. Isso tudo faz parte de uma grande brincadeira ok?

20 de fev de 2009

Cinco filmes; uma nova vida

Utilizando uma forma de expressão vista em outro blog (Caixa de Mensagens), que viu em outro blog, que deve ter visto em outro [multiplicado pelo infinito], decidi expor uma pequena lista de filmes que me fizeram pensar sobre a minha vida e sobre como tenho vivido a mesma.


Muitas coisas nos jogam de um lado para o outro e nem sempre sabemos a razão pelo o qual as coisas acontecem, mas no fim de tudo vemos que existia uma razão (mesmo que não consigamos ver qual é).


Mas sem mais delongas, segue os 5 filmes que mudaram a minha vida de forma absurda.


:: Filmes que fazem a diferença ::


1) Perfume de Mulher




Um p*ta filme. O filme é uma verdadeira obra de arte e por conta da interpretação fantastica do Al Pacino ganhou um lugar especial na minha prateleira de DVD's.
O filme é um classico 'o que fazer?'. Mostra que uma amizade pode aparecer nos locais mais improváveis e que podem tomar uma força tão grandiosa que muda conceitos, vontades e pensamentos.Uma verdadeira amizade sobrevive a qualquer coisa. E de igual forma, dura o tempo necessario para se tornar inesquecivel.

Vide 'Para Ler e Meditar'

2) O Homem Bicentenário




Está aí um filme que mesmo depois de eu assistir umas 200 vezes, me surpreendi com o mesmo ao conversar com o Kadu (dono do Caixa de Mensagens).


Neste filme vemos a superação de um ser para se tornar tudo aquilo que sempre desejou. Mas apenas se for muito sagaz, vai compreender que tudo isso deve-se a obediencia.É um otimo filme, pois nos ensina que existe em nós a força e o poder para mudarmos o nosso destino, basta que a gente dê o primeiro passo.


3) Noiva em Fuga



Algumas pessoas vão se perguntar se realmente eu assisti a esse filme e a resposta a essa pergunta é apenas: SIM. E para os que acham isso estranho, um novo fato: é mais um filme com lugar reservado na minha prateleira de DVD's .


A pergunta ao questionamento sobre o que esse filme tem a nos mostrar é muito simples. O plot principal é a historia de uma mulher que sempre fugia do matrimonio. E o motivo era muito simples: a mesma não consegui dividir sua vida com outra pessoa porque não compreendia a si propria. E apos isso, ela se encontra e descobre quem ela é.


4) Encontro Marcado



Um filme bom, sem me permitem dizer. A ideia de que temos do fim da nossa vida pode assustar a muitas pessoas.

Mas a vida é um ciclo e como tal deve ser encarado. E tudo o que fazemos, amamos ou em deixamos nossa marca, serve para construir uma bela lembrança, tanto para nós quanto para as pessoas que nós amaram.


5) Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembrança



Não sei como pude passar tanto tempo sem assistir a esse filme. Um belissimo filme e para aqueles que querem uma descrição sobre o mesmo, sugiro entrar no Top Top, para a descrição do Kadu; não falta em absolutamente nada sobre como é esse filme e no que ele pode ensinar.

19 de fev de 2009

Novidade

Ok, pessoal.

Este que vos fala decidiu que nada melhor do que usar a grande rede comunicação, vulgo Internet, para levar um pouco de Aleatoriedade para os leitores.

Do lado direito do monitor de voces, existe agora uma nova gadget: Post-it.
Neste espaço vou (tentar pelo menos) colocar sempre uma frase ou pensamento curto para reflexão de todos.

Espero que possam aproveitar.

Abraços.
Rom.

Carnaval - Folgança e Pândegas


A festa mais esperada pelos foliões, assanhadinhos e trabalhadores em geral está as portas.


O Carnaval está aí, já entrando na folia e na dança. Com seus carros alegóricos, suas mulatas semi-nuas, foliões altamente alcoolizados, sem esquecer dos foliões vestidos de mulher andando pela rua.


Para os assanhadinhos são, em média, 5 dias que têm a possibilidade de 'faturar' aquela gatinha visada. E se não usar a nossa famosa amiga, a CAMISINHA, a festa vai ser apenas o prelúdio da brincadeira de casinha.


Nota: já percebeu a quantidade de crianças que nascem em outubro/novembro? Frutos do Carnaval.


[Rom se lembra que nasceu em novembro]
Hum.. vou conversar com os meus pais.. tenho que saber dessa história..


Uma novidade para alguns e nem tanto para outros. Mas a minha curiosidade morbida mais uma vez me fez enveredar pelos lados da pesquisa.


[Momento 'Você Sabia?']
O Carnaval é um período de festas regidas pelo ano lunar no Cristianismo da Idade Média. O período do Carnaval era marcado pelo 'adeus à carne' ou 'carne vale' dando origem ao termo 'Carnaval'.


Durante o período do Carnaval havia uma grande concentração de festejos populares. Cada cidade brincava a seu modo, de acordo com seus costumes. O Carnaval moderno, feito de desfiles e fantasias, é produto da sociedade vitoriana do século XIX. A cidade de Paris foi o principal modelo exportador da festa carnavalesca para o mundo.


A festa carnavalesca surge a partir da implantação, no século XI, da Semana Santa pela Igreja Católica, antecedida por quarenta dias de jejum, a Quaresma. Esse longo período de privações acabaria por incentivar a reunião de diversas festividades nos dias que antecediam a Quarta-feira de Cinzas, o primeiro dia da Quaresma. A palavra 'carnaval' está, desse modo, relacionada com a idéia de afastamento dos prazeres da carne.


Em geral, o Carnaval tem a duração de três dias, os dias que antecedem a Quarta-feira de Cinzas. Em contraste com a Quaresma, tempo de penitência e privação, estes dias são chamados "gordos", em especial a terça-feira (Terça-feira Gorda, também conhecida pelo nome francês Mardi Gras), último dia antes da Quaresma.


No período do Renascimento as festas que aconteciam nos dias de carnaval incorporaram os baile de máscaras, com suas ricas fantasias e os carros alegóricos. Ao caráter de festa popular e desorganizada juntaram-se outros tipos de comemoração e progressivamente a festa foi tomando o formato atual.

18 de fev de 2009

Fictício e Real – Mulher ideal


Mulher de Costas - Fernando Barbosa

Todas as mulheres, mesmo sem querer admitir, sabem que todo homem que se preze, tem ou já teve algum contato com material erótico masculino (não é masculina, por ser com homens nus, mas por ser destinado a eles).


E isso é considerado normal em muitos relacionamentos. É claro que tem que haver certa ponderação; o cara não vai deixar a mulher de lado para ficar na frente de uma revista ou computador vendo imagens/vídeos/whatever de material adulto, não é?


Não sou pai de ninguém (não que eu saiba) e muito menos um padre (até porque acho que não seria aceito, por meu modo de vida pregressa), para dizer o que podem ou não fazer. O que está em jogo é apenas o relacionamento de vocês.

[Rom com olhar demoníaco e sorriso sacana]


Mas não é sobre isso que eu vim falar, mas tem haver com isso.

Um colega da Empresa chegou até a minha pessoa e me mostrou a ‘Playboy’ da Jéssica Maia; à primeira vista, juro que não saquei o que era aquilo e depois que eu vi o nome da revista, me deu aquele estalo de compreensão.


Da forma que ele me entregou, guardei na gaveta da mesa.

O motivo dessa reação, não é uma hipocrisia do tipo ‘detesto essas revistas, porque transformam as mulheres em objetos’ ou outra coisa que valha. É algo muito mais simplório.


Hoje tenho meus 24 anos, bem vividos e aproveitados no máximo que pude (e que tive dinheiro). Fiz de tudo um pouco nesses anos. E como todo homem, com os meus 12~14 anos, eu não perdia uma única oportunidade de ter uma revista dessa sob a minha custodia. E não sou nenhum santo ou hipócrita. Sou homem como qualquer outro e me masturbava imaginando mulheres com pele lisa e sedosa como um pêssego.


Conheço muitos homens que apesar de casados, continuam a ‘homenagear’ algumas modelos/atrizes/mulheres/whatever que aparecem nessas revistas.


Mas voltando ao ponto principal; o motivo pelo qual a revista está no mesmo local que foi deixada é: eu trabalho com fotografias. Sou fotografo amador, mas com um ‘quê’ de abuso, que me permite ver um pouco alem do que outras pessoas.

Todos sabem que as mulheres maravilhosas que aparecem em revistas masculinas são digitalmente alteradas. Photoshop é o ‘Santo Graal’ ou a ‘Fonte da Juventude’ para as mulheres, porque com ele não existe as rugas, estrias, celulites e outras coisas que assombram as mulheres.


Eu por saber disso, bem como aplicar isso em algumas edições que me são solicitadas, não vejo essas mulheres como deusas, mas como mulheres normais.


Mas a verdade é que eu realmente perdi o tesão por ver qualquer tipo de revista/site de nudismo ‘erótico’.


Então um recado aos ‘cuecas’ de plantão: parem de babar por mulheres que nunca terão (pelo menos com a facilidade de uma ‘homenagem’) e comecem a prestar a atenção na mulher que tem ao seu lado (seja noiva, namorada, ficante), porque essa é a mulher perfeita. A mulher que te atura e te ajuda!

Quer ‘homenagear’ alguém? Faça isso por ela.

17 de fev de 2009

Plantão Aleatório.


Uma das coisas que eu mais acho engraçado em alguns escritores é sua visível falta de consideração com relação ao material que disponibilizam para seus leitores. Visões de suas almas corrompidas e nefastas fazem parte do rol principal e preferível.


Egocentrismo é um mal palpável em alguns deles.


Mas a verdade é que estou apenas chacoteando (pt. zombando) e fazendo graça as custas dos outros.


Isso tudo para por a luz da revelação os eventos programados para o mês de março ou pelo menos, parte deles.


- Nova enquete;
Algumas pessoas já conhecem essa minha mania de perguntar aos meus leitores, por mais que sejam poucos e menos ainda os que se pronunciam (mas sei quem são; uma salva de palmas ao Google), sobre o que eles querem ler em uma data pré-determinada.


Pois bem; novamente vou perguntar a você, leitor do ‘Aleatoriamente Rom’, sobre o que deseja ler.
Os tópicos serão colocados a disposição para votação ainda hoje. Basta olhar na barra lateral e votar.


- Galhofa;
Pois bem, demorou bastante, mas finalmente vai acontecer [Rom faz figa]. O meu stand-up, em conjunto com o meu caro amigo Augusto Sergio, está (pré)definido para o dia 03.03.2009, a ser apresentado na Casa de Cultura Sylvio Monteiro, em Nova Iguaçu.
A hora de exibição (única exibição no local e no dia em questão) ainda está para ser definida.
Para os que não sabem do que se trata, apareça na Casa de Cultura no dia 03 de março e saberá.
Fiquem a postos.

Up date
- É oficial, a Galhofa está marcada para o dia 03.03.2009 e estará sendo apresentado às 18:00h.
- Enquete postada. Fiquem a vontade para votar.

Baile de Mascaras na vida real.


Muitos de vocês já devem ter visto que eu tenho um ponto de vista um tanto deturpada sobre a condição humana.


Um professor da faculdade disse, em um dado momento, que eu tenho uma visão lógica sobre as atitudes das pessoas e que eu costumo analisar as mesmas.
Não posso dizer que ele estava de todo errado, ate porque ele não estava errado. Eu costumo analisar as pessoas. Não da forma como muitas pessoas costumam imaginar. Eu observo a freqüência com a qual a pessoa realiza uma determinada tarefa; como ela age mediante a um determinado estimulo externo ou até mesmo como ela age quando excitada.


Já fui em varias festas apenas com o intuito de ficar observando as pessoas ao meu redor. Um tipo de voyeurismo, eu acredito. Não no sentido de que isso me excitava (talvez até excitava), mas porque eu me considero um observador da natureza humana, se pode dizer.


Estava conversando com a Atre (do ‘Conversa Atrevida’) e uma coisa que ela mencionou me chamou a atenção.


Se eu estiver desvirtuando algo que a Atre tenha dito, peço que ela me corrija.


Estávamos falando sobre nossos blogs e sobre os comentários que recebemos. E vimos que algumas pessoas se chegam até nós com uma curiosidade perene, buscando sempre algo de melhor para as suas vidas, seja uma palavra de conforto, seja um palavra de carinho, seja a explanação de um tema curioso, seja sexo ou seja apenas porque se sentem sozinhas e querem companhia.
Mas percebemos uma vertente que, mesmo querendo companhia, possui um medo de doar-se e envolver-se, mesmo que seja virtualmente.


Algumas pessoas se aproveitam do universo virtual, através de blogs, orkut, profiles, para esconder (ou simplesmente revelar) uma faceta que não tem coragem de mostrar no dia a dia.
Como uma vez eu mencionei (não sei se aqui ou com alguem que conversava), mas eu sempre imagino que tipo de nickname aquela menina da contabilidade usa na internet.
Sabe aquele estereotipo de menina indefesa, quietinha, nerd? Pois bem, essa mesma pessoa pode ser uma completa devassa na cama, daquelas que batem na cara, xingam e fazem de tudo e mais um pouco quando está enlouquecida de tesão.


Eu realmente não sei o porquê das pessoas ainda terem medo de mostrarem sua verdadeira faceta (ou o seu Lado B); será que hoje, mesmo em meio a tantas revoluções culturais e cientificas, continuando a manter a mesma mentalidade dos nossos avós? Será que os tabus impostos pela sociedade ainda têm mais validade e força que a nossa vontade de fazer a diferença e sermos nós mesmos?
Não concordo e não aceito.


Não estou querendo dizer que devemos deixar de lado a razão e destruir tudo. Mas não consigo conceber pessoas que conseguem manter a ‘mascara que cobre seu rosto’ a todo o custo, sacrificando sua individualidade e sensualidade/sexualidade.


Por que não compreendem que no momento em que faz um comentário, deixa um scrap ou mantém algum tipo de contato, você acaba de baixar a guarda e se tornou um pouco mais próximo e intimo da pessoa a qual o blog você acaba de comentar? Não somos bichos-papão, somos apenas pessoas comuns que decidiram abrir a porta de nossas vidas para que outras pessoas pudessem aprender com as nossas experiências e nós, consequentemente, aprender com as suas experiências.


Baixe a guarda.

15 de fev de 2009

Vida em folhas de papel.


Sabe aqueles dias em que você não sente vontade de fazer coisa alguma? E nesse momento, você abre o jornal e se depara com varias noticias das mais imbecis até as mais estapafúrdias.


Mas nada supera quando você chega ao hospital/consultório/whatever e quando olha ao derredor e se depara com aquela revista sensacionalista. Um tablóide insuportável.


Você começa a folhear e sobre o que a revista fala? Festas e vidas dos famosos.


Aí nesse momento eu me pergunto: por que é tão interessante a vida de pessoas que não estão nem aí para pessoas simples como eu ou você?


Obras de caridade, viagens ao redor do mundo, carros, iates, mulheres. Vida de luxo e pompa.

Dizer que se eu tivesse o dinheiro que eles têm, eu não agiria de forma parecida? Que não usaria o dinheiro alcançado para fazer viagens para os locais que sempre sonhei?

Se eu disser isso, com certeza seria hipocrisia da minha parte. Mas a verdade é que de forma alguma gostaria de ver a minha viagem comentada numa revista sensacionalista.


Sei que existem muitos atores/atrizes/personas famosas que preferem suas vidas de forma restrita, mas existem aqueles que gostam de aparecer.


Mas uma coisa que eu nunca vou compreender é porque algumas pessoas gostam tanto de saber do que se passa da vida desses ditos famosos. Eles são pessoas assim como nós. Se você cortá-los, com absoluta certeza, ele irá sangrar.


Eles comem, fazem sexo, gemem, gritam fazendo sexo, gozam, cagam, mijam, vomitam, cagam. Eles têm complexos, têm suas crises amorosas, depressão e talvez com mais freqüência do que nós, meros trabalhadores mortais.

Eles bebem, se drogam, tem soro-positivo, brigam na rua, pagam mico.


O que os diferenciam de nós?


A diferença entre nós é que podemos sair de casa, sem termos vários fotógrafos nos enchendo o saco e podemos andar por aí sem ter medo de sermos assaltados. Tudo bem que nem sempre temos tanta segurança assim, mas melhor do que ser famoso.


E se dermos uma excedida na cerveja e acabarmos pagando um mico, a nação/mundo não vai ficar sabendo.


Mas as pessoas que costumam ver essas revistas, provavelmente estão querendo deixar de lado a sua vida e observar a vida de outra, com mais prestigio e graça, é melhor do que atentar para os seus problemas.


13 de fev de 2009

Sexta-feira azarada.



Uma Sexta Feira 13 ou seja, uma Sexta-feira no dia 13 de qualquer mês, é considerada popularmente (mais ainda no Brasil) como um dia de azar.


Em varias culturas o número 13 é considerado de má sorte, mas sem ter no mesmo uma pré-disposição de cunho intelectual.


Na numerologia o número 12 é considerado um número de coisas completas e perfeitas, como 12 meses no ano, 12 tribos de Israel, 12 apóstolos de Jesus ou os 12 signos do zodíaco.


Em contra partida, o 13 é considerado um número irregular. A sexta-feira foi o dia em que Jesus foi crucificado (em teoria, vide mais abaixo) e também é considerada um dia de azar.


Se sexta-feira já é visto como o dia do azar, se o dia 13 cair numa sexta, consideram o dia mais azarado de todos.


Esta superstição pode ter tido origem no dia 13 de Outubro de 1307, sexta-feira, quando a Ordem dos Templários foi declarada ilegal pelo rei Filipe IV de França; os seus membros foram presos simultaneamente em todo o país e alguns torturados e, mais tarde, executados por heresia.


Outra possibilidade para esta crença está no fato de que Jesus Cristo provavelmente foi morto numa sexta-feira treze, uma vez que a Páscoa judaica é celebrada no dia 14 do mês de Nissan, no calendário hebraico, mas isso é questionável.


Recorde-se ainda que na Santa Ceia sentaram-se à mesa treze pessoas, sendo que duas delas, Jesus e Judas Iscariotes, morreram em seguida, por mortes trágicas, Jesus por execução na cruz e Judas provavelmente por suicídio. Mais uma superstição e coincidência.


Antes disso, porém, existem versões que provêm de duas lendas da mitologia nórdica. Na primeira delas, conta-se que houve um banquete e 12 deuses foram convidados. Loki, espírito do mal e da discórdia, apareceu sem ser chamado e armou uma briga que terminou com a morte de Balder, o favorito dos deuses. Daí veio a crendice de que convidar 13 pessoas para um jantar era desgraça na certa.


Segundo outra história, a deusa do amor e da beleza era Friga (que deu origem a frigadag, sexta-feira). Quando as tribos nórdicas e alemãs se converteram ao cristianismo, Friga foi transformada em bruxa. Como vingança, ela passou a se reunir todas as sextas com outras 11 bruxas e o demônio. Os 13 ficavam rogando pragas aos humanos.


Para aqueles que acreditam nessas superstições e crenças, apenas uma noticia: 13 de novembro de 2009 cairá numa sexta-feira.

Up date: o Sergio me atentou que 13 de março tambem cai numa sexta-feira.

Rom andando com cuidado na rua, porque se quebrar um espelho, passar debaixo de uma escada, cruzar com um gato preto e ainda por cima não responder àquelas correntes de internet, provavelmente vai ter 300 anos de azar, nunca mais será feliz, nunca conseguirá sucesso na vida e outras coisas mais.

12 de fev de 2009

Ação Anti-terrorista

Nos dias em que vivemos, observamos varias formas de expressividade. Uma forma deles é o terrorismo.


Todos sabem de casos em que homens, mulheres e crianças entregam suas vidas em prol de uma causa. E que as conseqüências do que esses atos podem causar. Como poderemos esquecer do atentado de 11 de setembro ao World Trade Center, em Nova York?


Mas após essa pequena comoção, venho explanar um caso inédito na historia anti-terrorista.


O site O Globo, divulgou que um suspeito de participar dos atentados terroristas que mataram 173 pessoas em novembro do ano passado, Fahim Ansari, diz ter sido obrigado a fazer sexo selvagem com uma agente do FBI.


Ok. Vamos aos meus dois centavos sobre o caso.


Inicialmente vamos analisar a questão. Um mulçumano alega que a agente fez um strip-tease diante de seus olhos e foi submetido (ô palavrinha mal colocada) a sexo selvagem com direito a marcas de mordidas e chupões.
Sejamos honestos, para o referido rapaz estar reclamando, existe uma possibilidade (de 99,9%) da agente não ser uma beldade como nos filmes ‘hollywoodanos’ que assistimos. Até porque se ela fosse como a Sandra Bullock, Julia Stile, dentre tantas outras; ele, com certeza, não estaria reclamando.


E apenas entre nós, que pessoa realmente reclamaria de um pouco de sexo animal e selvagem?


E sejamos honestos, é uma boa tática anti-terrorista. Já imaginou? Sexo selvagem por algumas horas? Deus te ouça!


Rom volta ao trabalho, porque essa noticia deu até animo de trabalhar.

11 de fev de 2009

Twittando por aí.


Regressando depois de um tempo de estagnação para o meu querido espaço (sim isso foi gay, eu sei).
Sei que não é nenhuma novidade falar sobre o TWITTER, apesar de que algumas pessoas parecem desconhecer completamente o site.


O site é funcional e simples a um nível absurdo. Você entra no site, se cadastra e já pode sair twittando por aí. Mas o divertido realmente é você ‘seguir’ as pessoas. Não se trata de um site destinado a perseguição ou voyeurismo.
Sei que depois disso algumas pessoas vão ficar desapontadas [brincadeira].


O site proporciona comentários rápidos e sucintos (em torno de 140 caracteres) que auxilia na gramática ou não.


A verdade é que o Twitter é um ‘mini-blog’, onde as pessoas postam coisas sobre o seu cotidiano ou sobre qualquer outra coisa que esteja afim.


A versatilidade e diversificação de coisas que podemos encontrar no referido site é tanta que alguns analistas consideram que ele possa ser um neo-orkut em quesito de atualizações.
É claro que sabemos que existem pessoas que não conhecem o site, mas é questão de tempo, até o mesmo cair nas graças dos internautas, seja os mais assíduos quanto os ‘visitantes’.


Pessoalmente eu acho o Twitter uma jogada de mestre, porque em poucas palavras você consegue se comunicar e se divertir na internet.


Rom voltando para o Twitter

3 de fev de 2009

Oncinha vs. Tigresa.

Mundo Bizarro

Não, não se trata de uma batalha de Rose Rumble (luta livre feminina). Vocês não vão ver duas mulheres se pegando de tapa, seja em um tatame ou numa banheira com gel.


O caso em questão é referente a nova “tendência” (se é que podemos chamar assim), que os ambientalistas estão tentando instituir. E que pode ter até mesmo estampa de oncinha.


ABSORVENTES ECOLOGICOS E REUTILIZAVEIS.


Sim, é isso mesmo. Não precisa trocar os óculos, pois vocês acabaram de ler isso mesmo. De acordo com o site G1, existe uma vertente que disponibilizou na internet um passo-a-passo de como as mulheres podem manufaturar seus próprios absorventes, utilizando vários tipos de materiais.
Eles pregam que os mesmos são confortáveis, higiênicos e o melhor, conservam a natureza. Existe certa relevância no que eles falam (sobre a conservação da natureza), mas sejamos honestos, deve ser um tanto quanto constrangedor uma situação dessas.


Fica assim a pergunta: os idealizadores dessa proeza foram mulheres? Acho que não.


E era só que faltava; depois de tanto tempo, voltar à moda os ditos fraldões.


O que falta eles inventarem? Tenho medo da resposta a essa pergunta..